Cidade

Campanha da Fraternidade alerta para o tráfico humano

| 02/03/2014 - 00:00

O bispo da diocese de Toledo, Dom João Carlos Seneme, lançou na sexta-feira, dia 28, em Toledo à Campanha da Fraternidade, que vai debater neste ano o tráfico de pessoas. Ele falou em entrevista coletiva, ao lado do assessor da Campanha da Fraternidade para a diocese, padre André Mendes, e da coordenadora da equipe encarregada da cartilha distribuída aos estudantes, professora Maria Auxiliadora Perón, sobre os riscos deste crime, que passa despercebido pela falta de números oficiais. Ele movimenta R$ 32 bilhões ao ano e pode ser comparado ao tráfico de drogas e de armas. O tráfico humano é a escravidão dos tempos modernos e o Brasil está entre os primeiros nas estatísticas de crimes desta natureza, destacou o bispo. Segundo ele, a predominância é entre as mulheres, envolvendo prostituição e trabalhos forçados. O Brasil está em terceiro lugar, ficando atrás da Nigéria e da China. “É uma realidade difícil, que envolve 1,2 milhão de pessoas, e que a igreja resolveu trazer esta discussão a tona”, observou.
Segundo ele, a questão é muito complexa e de difícil denúncia, uma vez que as pessoas que sofrem com este tipo de problema, especialmente o tráfico sexual, enfrentam preconceito e baixa autoestima, o que muitas vezes impede a denúncia e punição dos culpados.
Na diocese de Toledo, segundo afirmou padre André, é necessário dar uma atenção especial, uma vez que embora não confirmados exigem indícios de algum tipo de crime, especialmente com relação a adoção ilegal de crianças. “As pessoas não denunciam, o que torna mais difícil a identificação e punição dos culpados, mas pelas conversas que tivemos com algumas pessoas, em nossas andanças, pudemos perceber que existem indícios de tráfico humano, também na nossa região, entre eles a adoção ilegal”. Ele observou também a proximidade com Foz do Iguaçu e os riscos de uma região de fronteira.
Outra observação feita foi com relação ao trabalho no exterior. Segundo padre André, muitos tem filhos no exterior e não sabem as condições reais de trabalho destes, o que gera preocupação constante.
A campanha da fraternidade, destacaram, é o momento ideal para os cristãos refletir sobre determinados temas que afligem as pessoas. Neste ano, a opção pelo tráfico humano, foi feita em decorrência ser este um crime que atenta contra a vida, porém pouco abordado. Os dados apresentados mostram que o tráfico humano se compara a outros crimes, como o tráfico de drogas, sem, no entanto, merecer a devida atenção pela falta de registros. Dados da Organização Internacional de Trabalho, de junho de 2012, estimou que as vítimas do trabalho forçado e exploração sexual chegam a 20,9 milhões de pessoas em todo o mundo. A pesquisa constatou que 4,5 milhões (22%) das vítimas são exploradas em atividades sexuais forçadas; 14,2 milhões (68%) em trabalhos forçados em diversas atividades econômicas; e 2,2 milhões (10%) pelo próprio Estado, sobretudo os militarizados. Os traficantes se aproveitam da vulnerabilidade econômica e social de muitas pessoas em processo de migração para aliciá-las.
Além do tráfico humano para a exploração sexual e trabalho, outro aspecto observado foi a exploração para o tráfico de órgãos, um dos crimes mais cruéis. Segundo padre André, este tipo envolve questões éticas, pelo envolvimento de pessoas que precisam de uma doação e de outros que podem vender um órgão do corpo, além de profissionais. O transplante é um tipo de cirurgia que não se faz em qualquer lugar. É preciso uma clínica especializada e profissionais habilitados, disse ele, para dar uma ideia das pessoas envolvidas neste processo.
Ele alertou também para o tráfico de crianças e adolescentes para fins de adoção, um problema igualmente sério e que afeta a dignidade humana.
Educação
Na diocese de Toledo, esclareceu padre André, o trabalho já começou com reuniões de preparação de lideranças religiosas, que vão atuar como agentes multiplicadores. Ao todo foram preparados 300 agentes, que deverão atuar no repasse das informações e na discussão do tema. Além disso, foi preparada uma cartilha e outros materiais, que serão utilizadas nas escolas para abordar o tema com crianças e adolescentes. Foram preparados 8 mil livros para professores e 38 mil cartilhas para estudantes do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental e mais 45 mil calendários para os estudantes.
O projeto, desenvolvido há nove anos, elabora materiais que servem de subsídios para professores das escolas municipais, estaduais e particulares dos 19 municípios e 30 paróquias que fazem parte da diocese, envolvendo 7.842 professores. Todos os professores dos 19 municípios, das escolas públicas e privadas de Toledo e da região foram visitados, garantiu padre André. O trabalho deverá ser iniciado nas escolas, após o carnaval, no início da quaresma. Os temas serão abordados com enfoques diferenciados, conforme a faixa etária. Com os menores, as discussões deverão girar em torno de valores e autoestima, enquanto com os maiores a discussão direta do tema proposto na campanha da fraternidade. “Todo o trabalho é feito com acompanhamento e de acordo com a faixa etária. Temos esta preocupação”, ressaltou Maria Auxiliadora.
Durante a quaresma, no Domingo de Ramos, informa padre André, deverá ser feita uma campanha solidária, visando a coleta de recursos para apoio de projetos que visem superar a vulnerabilidade social de crianças e adolescentes. Os projetos serão analisados por uma comissão, que deverá definir aquela que poderá receber recursos financeiros para o seu incremento.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

Lixo do Lopeí é retirado, mas na Avenida Cirne Lima continua

Copel completa 60 anos, 51 de atuação em Toledo

Curso Mulher Atual entrega certificados em Vila Nova

Central atende 100 pacientes oftalmológicos de Toledo e região

Professores participam do III Seminário de Inclusão Inclusiva

Eleitores vão às urnas para escolher presidente hoje

Produtores orgânicos têm reunião na segunda

Vereador quer sustar norma que reajustou base de cálculo do ITBI

Definida a programação das missas para o Dia de Finados

Reunião define detalhes para coleta de lixo eletrônico

Mais Destaques

Segurança

BPFron apreende espingarda na Boa Esperança

Regional

Colégio de Santa Helena é finalista em prêmio nacional

Esporte

Amador aponta últimos semifinalistas hoje

Cultura

Mostra de filmes leva centenas ao CEU das Artes

"Não podemos continuar passivos, pois a doença avança e o risco está em todas as frentes, sendo necessário alertar os mais novos e motivar os mais experientes, mas mobilizar a todos para o cuidado que uma doença ainda fatal exige. "
(Editorial)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)