Editorial

Independência é fruto de esforço e sacrifício de gerações

| 06/09/2016 - 00:01

O Brasil comemora neste 7 de setembro mais um ano de vida independente em meio a uma das maiores crises de sua história e por isso mesmo a festa cívica deve ter um pouco da ressaca das diferenças políticas e de opinião que têm marcado a vida nacional com uma surpreendente intolerância. Num país que sempre foi conhecido pela convivência tranquila e pacífica entre as diferentes etnias, correntes de pensamento e de opinião, chegamos a um estágio onde as diferenças têm sido mais valorizadas do que as convergências. O Desfile da Independência hoje porém serve para nos lembrar que a chegada até este dia e com esta realidade não foi fruto do acaso, mas sim resultado do esforço e sacrifício de várias gerações de brasileiros e que esta trajetória precisa ser valorizada e respeitada acima de tudo. O que significam ideias ou propostas de partidos fundados há alguns anos diante da Guerra do Paraguai, que uniu exércitos estaduais de todo o território brasileiro em defesa do território nacional? Diante do sacrifício dos pracinhas que foram à Itália lutar e morrer em território estrangeiro é válido este ou aquele segmento querer colocar seus interesses à gente dos demais?
A própria independência brasileira não ficou resumida a um príncipe gritando sobre seu cavalo, na visão idílica da célebre tela. A independência do Brasil foi conquistada com a expulsão das tropas coloniais portuguesas em vários combates na Bahia, que sediou a primeira capital brasileira. Estes fatos muitas vezes passam despercebidos mas precisam ser lembrados periodicamente e especialmente em datas como hoje. Afinal, se hoje temos um país pacificado em termos de continente e em suas relações internacionais isso exigiu sacrifícios e muita luta de várias gerações de brasileiros. Celebrarmos este fato e a luta e trabalho para construção do Brasil deve ser o grande objetivo deste feriado, cujo maior espaço de descanso também pode ser usado para avaliarmos o que temos feito para que o Brasil siga independente e pacífico nos anos vindouros. Afinal, se chegamos a 94 anos de independência temos que continuar esta trajetória e isso exige comprometimento e também, para fraseando o almirante Tamandaré em sua batalha naval, que cada brasileiro faça a sua parte.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Editorial'

Meu ponto de vista sobre o aumento do IPTU em Toledo.

Mais Destaques

Segurança

BPFron apreende 35 pistolas, 51 carregadores e oito mil munições

Esporte

Toledo enfrenta o Foz hoje

Política

Porto Alegre vive clima de apreensão com julgamento de Lula

Variedades e Gente

Material escolar também pode estimular a criatividade e organização nos estudos

Cidade

Municípios receberão R$ 6,6 bi da participação no ICMS em 2018

AgroGazeta

Matéria prima com origem gera alimentos com qualidade

Geral

Prosperidade de bilionários impulsiona grande desigualdade global

Gente X Poder

Das três perguntas feitas á administração* de Toledo e que ainda estão sem respostas, vamos engrossa

"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)