Editorial

Corrigir agora para evitar prejuízos futuros

Sérgio Ferreira | 09/02/2017 - 00:01

Corrigir agora para evitar prejuízos futuros

A sociedade brasileira passa por uma das maiores crises política da história. É um cenário que exige mudança de postura com relação à gestão pública. Nesse sentido, as administrações municipais que iniciam seus mandatos precisam estar atentas aos sinais das ruas e das redes sociais.
Em Toledo, o atual prefeito Lúcio de Marchi tem a chance de fazer uma administração moderna e capacitada tecnicamente. Mesmo com alguns erros iniciais, é possível tomar atitudes no sentido de corrigir equívocos no decorrer do caminho e evitar desgastes que podem trazer sérios prejuízos, não apenas político, mas também com relação à qualidade dos serviços públicos, que acabam atingindo diretamente a população. Além disso, existe ainda o risco de responder futuras ações judiciais e administrativas que acabam por onerar financeiramente o município.
Ao receber uma proposta do Ministério Público apontando caminhos para uma gestão moderna, com foco na eficiência técnica dos cargos comissionados, Lúcio tem em suas mãos a possibilidade de dar uma resposta positiva aos anseios da sociedade. Mesmo em caso de não assinar o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) enviado pela Promotoria de Proteção ao Patrimônio Público, o prefeito tem como se ajustar tecnicamente em serviços essenciais que exigem pessoas capacitadas para realizar determinadas tarefas.
Existem muitos casos de nomeações na atual administração, que atendem exclusivamente aos interesses políticos, sem se preocupar minimante com a capacidade profissional exigida para determinada função ser realizada com êxito. Isso poderá custar caro ao atual prefeito, pois na maioria das vezes esses nomeados se preocupam apenas em fazer política e esquecem que estão sendo ‘vigiados’ não apenas pelos adversários, mas também pela própria população.
Esta semana, um caso bastante ilustrativo desse tipo de nomeação pode servir de alerta para que Lúcio tome medidas para evitar aborrecimentos futuros. Em pleno horário de expediente, um desses cargos de confiança estava a serviço do partido político ao qual é filiado, fazendo trabalho alheio a função para o qual foi designado. Um caso típico de desvio de função. O fato foi testemunhado por diversos servidores e assessores da Câmara Municipal de Toledo.
Hoje em dia existem câmeras de segurança por todas as partes, filmando 24 horas por dia tudo que acontece, esse tipo de desvio de função poderá ser comprovado materialmente por meio das imagens arquivadas. Imagine só se esse tipo de ‘correria’ partidária cair nas redes sociais o tamanho da dor de cabeça que terá o prefeito para explicar que ‘focinho de porco não é tomada’?
O papel da imprensa é dar publicidade aos fatos ‘estranhos’ ao interesse público. Neste sentido, a Gazeta de Toledo estará sempre de ‘olhos bem abertos’ para dar visibilidade a tudo que não esteja acontecendo de acordo com aquilo que preconiza a ética e a eficiência dos serviços públicos, seja na esfera de poder que for. Assim como também é papel da imprensa, divulgar acertos e acontecimentos que merecem elogios, como por exemplo, obras e políticas públicas que melhoram a qualidade de vida das pessoas.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Editorial'

Meu ponto de vista sobre o aumento do IPTU em Toledo.

Mais Destaques
"Dirigiu bêbado e foi pego, ANOTE AI: é crime sem fiança! A pena mínima é de CINCO ANOS de reclusão, perde a careteira de motorista definitivamente e essa pena NÃO se pode converter mais em prestação de serviços, ou seja, vai ficar PRESO! "
(Governo Federal)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)