Artigos

Fórum: Educação, Ética e Família

| 28/03/2015 - 00:01

Jeandré C. Castelon*
Cascavel será sede de importante evento, promovido pela Associação de Famílias de Cascavel e Região, dirigido aos educadores e demais interessados, que debaterá sobre questões relacionadas à educação, ética e família. Espera-se a participação de cerca de 800 pessoas, no encontro que acontecerá nos dias 13, 14 e 15 de Abril.
Entre os palestrantes convidados, destaca-se a presença de Guilherme Schelb (Procurador da República), Trajano Sousa de Melo (Promotor de Justiça da Infância de Brasília), e Miguel Nagib (Procurador do Estado de São Paulo). Os três juristas acima mencionados viajam pelo Brasil, defendendo e debatendo assuntos que são de interesse de toda a sociedade. Comprometidos com a educação inclusiva e de qualidade, apontam possíveis soluções para os desafios que dificultam a formação das crianças em futuros cidadãos, conscientes dos seus deveres e obrigações.
Inimaginável que um país possa caminhar bem, quando a família vai mal, quando não se tem uma educação de qualidade, quando não se observam princípios éticos. E sobre este último ponto destaco o nosso tão conhecido e muitas vezes aclamado método de se obter vantagens em detrimento aos demais: “o jeitinho brasileiro”.
Perdoem-me os contrários, mas o “jeitinho brasileiro” mancha nossa conduta cidadã. Cortar fila; aproveitar-se para conseguir vantagens por ser amigo ou parente de alguém que ocupa cargo importante; usar a carteirinha da faculdade (onde já se formou há muitos anos), para ingressar em eventos obtendo desconto na entrada; sair do restaurante sem pagar a conta; aplicar “golpes”; entre outros exemplos, são atitudes que infelizmente fazem parte da realidade do povo brasileiro. Chega-se ao cúmulo, já que atitudes assim fazem parte do nosso dia-a-dia, de muitas pessoas aceitarem a corrupção como algo normal e irreversível.
Aproveito para mencionar também as dificuldades que o professor está enfrentando na escolarização dos jovens. Não raras vezes, o educador é vitima do medo, já que não pode exigir o respeito que lhe é devido, ou cobrar uma atitude responsável do aluno, pois poderá colocar sua integridade física em risco. As crianças de forma geral, não estão sendo educadas em casa, e os pais vociferam ao professor, exigindo do já tão desonrado docente, que dê conta de resolver uma gama de problemas que foram ignorados pela família.
Quando a família vai mal, o reflexo é negativo em toda a sociedade. Por isso, a importância de discutir os temas propostos pelo Fórum e buscar soluções possíveis de serem implantadas, beneficiando toda a nação. Para os interessados, maiores informações poderão ser obtidas no link: www.afcr.com.br.
* O autor é advogado e ex-professor. Blog: jeandrecastelon.blogspot.in
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Artigos'

Eu creio, Senhor, mas aumentai a minha fé

Eles entraram no sepulcro, viram e acreditaram: Cristo Ressuscitou

Família e escola: uma parceria fundamental

Quo Vadis UnB

Jesus morreu na cruz para nos dar vida em plenitude

Profissão professor

Mais pobreza

A VIA PARLAMENTARISTA

A dignidade restituída e a esperança renovada

Os robôs estão chegando!

Mais Destaques
"Já foram 19 milhões que acessaram o site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)