Cidade

Infestação de caramujos preocupa moradores

| 23/12/2015 - 00:01

Infestação de caramujos preocupa moradores

Moradores da Vila Industrial, em Toledo, reclamam de uma verdadeira invasão de caramujos africanos durante a noite. A maior preocupação é com a saúde, já que doenças sérias podem ser transmitidas, como verminoses que causam perfuração intestinal e até cegueira. O excesso de umidade deixado pela chuva facilita a infestação de caramujos em alguns bairros da cidade. A espécie foi trazida para o Brasil há quase 30 anos para ser comercializada como alimento, mas se tornou um problema de saúde pública. O morador da Vila Industrial, Eitor Müller, disse que todo o dia de manhã a sua mãe recolhe no quintal da residência vários caramujos. “O bairro está infestado desses caramujos e outras localidades da cidade também. Os caramujos começaram a aparecer neste ano, principalmente agora em novembro e dezembro. Esses bichos também atacam a horta de casa e estão acabando com as hortaliças”, diz.
Eitor conta que quando surgem muitos caramujos, ele joga sal de cozinha para matar o bicho e depois jogar fora. “Depois que comecei a jogar sal, a quantidade de caramujos diminui. Eu não sei qual é o órgão responsável para dar uma destinação correta aos caramujos, que são venenosos e perigosos. Eles se reproduzem muito rapidamente. Ainda bem que dentro de casa os caramujos não entram, mas no quintal, telhado e na horta os bichos se multiplicam”, afirma.
Caramujos não têm predador natural e a proliferação é muito rápida
Por ser uma espécie exótica, o caramujo não tem predador natural no Brasil, sendo muito difícil acabar com esses bichos que se proliferam rapidamente. O engenheiro de pesca do Instituto das Águas do Paraná, escritório de Toledo, Robert Hickson explica que os caramujos ficam geralmente embaixo da terra e emergem quando o volume de chuvas é elevado. “Quando começa o período de chuvas eles saem do solo e ficam grudados nas paredes e muros. Não é fácil acabar com esse bicho, porque quando não chove ficam enterrados e sendo um animal exótico não existe predador natural. É um problema que foi trazido pelas pessoas que estavam estimulando o consumo dessa iguaria, mas não deu certo e acabaram soltando esses bichos. Alguns animais que chegaram ao Brasil deram certos a exemplo do boi e o frango, mas outros como o caramujo não foi aceito pelos brasileiros”, diz. Ele confirma que o sal de cozinha é eficaz para matar os caramujos. “Esses bichos de corpo mole morrem facilmente com esse tempero, eles acabam se desidratando”. Robert orienta que outra forma de matar o caramujo é cozinhando, porém o brasileiro não tem o costume de comer essa iguaria, que é típica da França.
A população tem grandes dificuldades em dar um destino correto para os caramujos depois de mortos e acabam jogando no lixo comum. Robert Hickson disse que as pessoas precisam procurar os órgãos competentes. Estaduais: o IAP e municipais: secretaria do Meio Ambiente, secretaria da Saúde e Vigilância Sanitária.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

Secretário do Estado visita instalações do futuro aterro e dois Ecopontos

Faciap reúne centenas de jovens

MP interveio e Executivo teve que responder sobre o Canil da GM

Denúncia entregue anonimamente a Gazeta de Toledo

Servidores de Toledo se destacam com palestras legislativas pelo Brasil

Veículos de transporte escolar devem passar por vistoria em julho

Jardim Coopagro vai inaugurar Associação de Moradores

Toledo sedia evento estadual da Faciap Jovem

Centros da Juventude recebem investimentos

EMDUR continua testando nova tecnologia de asfaltamento

Mais Destaques
"Chegamos ao 15 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Aqui se propaga - 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)