Editorial

Recursos para o Bom Jesus são luz no fim do túnel

| 27/12/2013 - 00:00

O Ministério da Saúde anunciou na noite de último dia 23 a liberação de R$ 131,785 milhões para 59 santas casas e entidades filantrópicas do Paraná, dentre as quais a Hoesp - Associação Beneficente de Saúde do Oeste do Paraná, que explora a Casa de Saúde Bom Jesus em Toledo.
Os recursos visam atender a Santas Casas, mas incluem também entidades beneficentes e justamente neste ano a Casa de Saúde Bom Jesus conseguiu cadastrar-se como tal através da Associação Beneficente de Saúde do Oeste do Paraná-Hoesp. Desta forma a instituição, que ameaçava interromper o atendimento de UTI a pacientes do SUS devido a uma pendência do governo estadual de R$ 1,5 milhão, receberá mais que o quádruplo deste valor dos cofres públicos federais, num total de R$ 6.707.081,68.
Sem dúvida é uma grande notícia para o Oeste do Paraná, que foi contemplado de forma generosa nas medidas de apoio às Santas Casas, sendo a quarta entidade de todo o Paraná em volume de recursos a receber. Mais do que isso, a medida do governo federal vai liberar uma parcela de R$ 32,9 milhões em três pagamentos, sendo que a primeira será paga até 31 de dezembro deste ano, o que representa recursos imediatos em benefício da entidade e toda uma nova perspetiva em torno da polêmica envolvendo a pendência do governo estadual com a empresa toledana.
Toledo tem vivido nas últimas semanas uma das maiores crises recentes relativas à saúde pública, com a ameaça de fechamento do acesso à UTI aos pacientes encaminhados via Sistema Único de Saúde à Casa de Saúde Bom Jesus. O fato vem lançando mais uma mancha na história do sistema misto de atendimento à saúde no Oeste do Paraná, que já viveu episódios como a crise do atendimento de neurocirurgia. Naquela ocasião várias vidas foram perdidas nos dias pelos quais estendeu-se, a partir de acidentes graves que exigiam atenção imediata e qualificada a pacientes em estado crítico e também de casos de urgência que igualmente precisavam de resposta imediata e qualificada.
Os recursos agora anunciados, portanto, representam uma reviravolta numa situação cuja evolução tinha entre suas opções de rotas o triste caminho de episódios como o da neurocirurgia. Basta agora que esta nova realidade tenha o reconhecimento e boa vontade por parte de todos os envolvidos, de forma a fazer com que as declarações de boas intenções, os discursos de realizações e os votos de boas festas e felicidades tenham o gesto concreto de buscar esta nova trilha que se abre. A alternativa é um caminho iluminado em meio ao breu da incompreensão e da má vontade que trilhávamos até aqui e que apontava inapelavelmente no sentido de danos irreparáveis à saúde pública e ao próprio cumprimento da lei, com todas as consequências que daí podem advir.

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Editorial'

Meu ponto de vista sobre o aumento do IPTU em Toledo.

Mais Destaques
"Chegamos ao 15 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Aqui se propaga - 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)