Artigos

A cada duas horas um paranaense é vítima de intoxicação por medicamento

| 28/01/2017 - 00:01

Orientação farmacêutica é fundamental ao uso correto e seguro de medicamentos, agente tóxico mais frequente no estado e no país.
A cada duas horas, pelo menos um paranaense é vítima de intoxicação por medicamento. Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), somente em 2015, 3.612 casos de intoxicação foram registrados no Paraná. É bem mais que as intoxicações causadas por drogas de abuso (846) e produtos de uso domiciliar (641). E o número só vem crescendo. Em comparação com 2011, foi 8,5% maior do que o de 2015. Os dados registrados no Paraná seguem uma tendência verificada no país. De acordo com o Sistema Nacional de Informações Toxicológicas (Sinitox), cerca de 30% dos casos de intoxicação notificados anualmente no país são causados por medicamentos. O segundo agente tóxico mais frequente, o veneno de escorpiões, é responsável por metade disso, 12,61% dos casos.
O presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Walter da Silva Jorge João, que nesta quinta-feira, dia 26, estará em Curitiba para receber uma homenagem do Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná (CRF-PR), reforça a importância da atuação do farmacêutico na prevenção das intoxicações. “O farmacêutico é o profissional da saúde mais acessível ao cidadão e sua orientação é fundamental para prevenir essas ocorrências”, diz ele. Segundo estudo, sobre internações hospitalares de urgência e emergência (PATEL; ZED, 2002), as internações por problemas relacionados ao uso de medicamentos (PRMs) representam 24,2% de todas as internações de urgência e emergência registradas nos prontos-socorros e, em cerca de 70% dos casos, elas poderiam ser evitadas.
Walter da Silva Jorge João, que receberá homenagem como Farmacêutico de Destaque Nacional durante as comemorações do CRF-PR pelo dia 20 de janeiro, Dia do Farmacêutico, assinala a importância de divulgar a informação de que nenhum medicamento deve ser utilizado sem a orientação do farmacêutico. “É preciso conscientizar a população de que a farmácia, desde 2014, com a aprovação da Lei nº 13.021/14, não é mais um simples estabelecimento comercial. Mas, sim, um lugar para cuidar da saúde. Essencial reforçar também que desde 2013, o farmacêutico está autorizado por meio das resoluções nº 585 e 586, do CFF, prestar os cuidados farmacêuticos, inclusive prescrevendo alguns medicamentos.”
A luta do presidente do CFF para consolidar as conquistas com a aprovação das duas resoluções, que dispõem sobre as atribuições clínicas do farmacêutico e a prescrição farmacêutica, e da Lei nº 13.021/14, é um dos motivos da homenagem. Durante 2016, Walter da Silva Jorge João coordenou ações pela disseminação dos cuidados farmacêuticos no país, entre as quais, o lançamento do Programa de Suporte ao Cuidado Farmacêutico na Atenção à Saúde (Profar), que visa à capacitação dos profissionais gratuitamente, por meio de plataforma digital. Ele é um dos líderes do movimento clínico farmacêutico no Brasil, que ganhou destaque internacional durante o Congresso da Federação Farmacêutica Internacional (FIP), em agosto, na Argentina, e também na Conferência Global sobre Farmácia e Educação em Ciências Farmacêuticas, realizada em Nanjing, na China, no mês de novembro.
Conselho Federal de Farmácia
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Artigos'

A ameaça do “não voto”

Contratação de refugiados pode ser vantagem competitiva para os negócios

Jesus enviou os apóstolos em missão

O milagre da intercooperação

Expo Toledo não pode ficar à mercê só da SRT

Indústria 4.0: impactos e oportunidades da evolução 

Consequências criminais para manifestações machistas e racistas

Abstenção não é solução

Jesus percorria os povoados ensinando

Informações para votar bem e evitar possíveis erros

Mais Destaques
"Chegamos ao 15 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Aqui se propaga - 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)