AgroGazeta

Idade média do agricultor diminui no país

| 31/05/2017 - 22:00

Idade média do agricultor diminui no país

A idade média dos produtores rurais do Brasil em 2017 atingiu 46,5 anos, queda de 3,1 por cento ante estudo realizado em 2013, revelou nesta quarta-feira pesquisa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), realizada pela consultoria IEG FNP.
O estudo, que entrevistou 2.835 agricultores de 15 Estados, apontou ainda que a presença da mulher em funções de decisão nos empreendimentos rurais apresentou salto em quatro anos, triplicando sua importância na gestão da atividade rural de 10 para 31 por cento.
O pesquisa revelou também que 21 por cento dos entrevistados têm curso superior, especialmente agronomia (42 por cento), veterinária (9 por cento) e administração de empresas (7 por cento).
“Essas e outras constatações da nova Pesquisa da ABMRA comprovam a percepção que temos do agronegócio, uma atividade que se reoxigena ano após ano, torna-se mais moderna e produtiva...”, afirmou o presidente da associação, Jorge Espanha, em nota.
Além disso, acrescenta a entidade, o estudo representa um confiável banco de dados do agronegócio, que supre a ausência de um levantamento público para um segmento que representa 23 por cento do Produto Interno Bruto nacional.
O objetivo da pesquisa também é identificar o perfil dos produtores rurais brasileiros, incluindo seus hábitos de compra, seu envolvimento com as novas tecnologias e as mídias que consultam para sua informação pessoal e profissional.
A televisão aberta perdeu um pequeno espaço na preferência dos produtores rurais, mas permanece com folga na liderança como o meio de comunicação mais usado por 92 por cento (ante 95 por cento no estudo anterior) dos entrevistados para atualização e informação.
Em quatro anos, os jornais e as revistas perderam mais espaço nas menções do entrevistados.
Segundo o estudo, 75 por cento usam o rádio para se informar (ante 70 por cento no levantamento anterior); a internet é usada por 42 por cento (ante 39); os jornais, 30 por cento (ante 42), a TV paga, 28 por cento (ante 26); e as revistas foram mencionadas por 27 por cento, ante 36 por cento há quatro anos.
Entre as mídias digitais, o aplicativo Whatsapp lidera a preferência dos produtores rurais com 96 por cento, seguido pelo Facebook (67 por cento), YouTube (24 por cento), Messenger (20 por cento), Instagram (8 por cento) e Skype (5 por cento).
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'AgroGazeta'

China autoriza importação de gordura de porco do Brasil

Começa mais uma campanha de vacinação contra aftosa

Novo Zoneamento Agrícola de Risco Climático da Uva é publicado

Mais Destaques
"Já foram 19 milhões que acessaram o site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)