AgroGazeta

Soja: Preocupações são pontuais e Brasil deve colher safra cheia

| 08/01/2018 - 20:15

Soja: Preocupações são pontuais e Brasil deve colher safra cheia

A safra 2017/18 de soja do Brasil caminha bem até esse momento e um levantamento feito pelo Notícias Agrícolas nos principais estados produtores mostra que as preocupações são pontuais e as expectativas são de colheita de uma safra cheia. Enquanto a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) estima uma produção de 109,2 milhões de toneladas, consultorias privadas e pesquisas de agências de notícias apostam em números maiores do que isso.
Entre os pontos a serem observados com mais atenção nesta fase são as ocorrências da ferrugem asiática e a preocupação dos produtores com a incerteza sobre os reais impactos do La Niña nesta safra. As lavouras ainda se encontram, no Rio Grande do Sul, por exemplo, em fase de desenvolvimento vegetativo e poderiam ser penalizadas pelo fenômeno.
Na temporada 2016/17, o Brasil colheu 114.075,3 milhões de toneladas de soja. A redução no volume produzido, segundo explicam especialistas e produtores, apesar de um aumento na área plantada - de 33,9 milhões para 34,9 milhões de toneladas - é redução de um menor investimento nesta temporada, o que deve reduzir a produtividade média.
Segundo números da Conab, o rendimento da soja deverá cair de 3364 quilos por hectare (56,06 sacas/ha) para 3123 quilos (52,05 scs/ha).
Mato Grosso
Em Mato Grosso, maior produtor de soja no país, a perspectiva é que sejam colhidas mais de 30 milhões de toneladas na safra 2017/18, conforme estimativa da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). Segundo o novo presidente da Aprosoja Mato Grosso, Antônio Galvan, as plantações apresentam boa aparência até o momento.
O estado já tem 5 casos de ferrugem asiática, conforme dados do Consórcio Antiferrugem. Os agricultores seguem atentos e realizando as aplicações preventivas nas plantações. Nesta safra, a estimativa é que os trabalhos de colheita se concentrem no final de janeiro.
Mato Grosso do Sul
As chuvas também têm beneficiado a produção de soja em Mato Grosso do Sul, especialmente no sul do estado após um período mais seco. Na região de Laguna Carapã, as plantações estão em fase de enchimento de grãos e os produtores realizam as aplicações preventivas para o controle das doenças de final de ciclo, como antracnose e ferrugem asiática, segundo destaca Antônio Rodrigues Neto, técnico agrícola da Casa da Lavoura de Dourados
Goiás
Assim como em outras regiões do país, as adversidades climáticas também atrasaram a semeadura da soja em Goiás. Com isso, as plantações estão em diferentes fases de desenvolvimento e a colheita deverá tomar ritmo a partir do dia 15 de fevereiro. A Conab estima a safra de soja em 10,5 milhões de toneladas do grão nesta safra.
Paraná
No segundo maior estado produtor de soja no Brasil, o Paraná, o excesso de chuvas tem dificultado o controle da ferrugem asiática e há incertezas em relação ao potencial produtivo das lavouras. Em seu último boletim informativo, o Deral (Departamento de Economia Rural), destacou que 88% das plantações ainda apresentam boas condições.
Conforme informações disponíveis no site do Consórcio Antiferrugem, o estado já registra 46 ocorrências de ferrugem nesta temporada.
Além disso, o vice-presidente da Aprosoja Paraná, José Eduardo Sismeiro, ressalta a preocupação com o comportamento das variedades cultivadas fora dos períodos recomendados. O plantio da soja começou com mais de 20 dias de atraso no estado devido à ausência de chuvas.
Em meio a esse cenário, a liderança estima que a produção de soja deva ficar próxima de 17 milhões de toneladas nesta safra, embora ainda não seja possível apurar o potencial de perdas. Ainda conforme dados do Deral, o estado deverá colher mais de 19 milhões de toneladas do grão.
Rio Grande do Sul
No estado gaúcho, as atenções seguem voltadas ao La Niña e os impactos do evento climático na safra de verão. No caso da soja, em torno de 84% das lavouras estão em fase de desenvolvimento vegetativo, conforme levantamento realizado pela Emater/RS.
Maranhão
No estado, as chuvas regulares têm trazido boas perspectivas em relação à produtividade das lavouras de soja nesta temporada. Em Balsas, em torno de 80% das plantações estão em fase de floração, de acordo com o produtor rural da região, Valério Mattei. Nesta safra, os agricultores deverão colher 2,6 milhões de toneladas de soja, segundo levantamento da Conab.
Tocantins
No estado, as lavouras de soja também têm sido beneficiadas pelo clima. “Ainda temos pontos com chuvas irregulares no Tocantins, mas não está faltando umidade. Com isso, mantemos uma boa expectativa para o rendimento das lavouras nesta safra”, disse Marcílio Fernandes Marangoni, engenheiro agrônomo de Darcinópolis.
Piauí e Bahia
Ainda de acordo com levantamento da Conab, o Piauí deverá colher 1,7 milhão de toneladas de soja na safra 2017/18. A projeção está abaixo do registrado na temporada passada, de 2,04 milhões de toneladas. A diferença é decorrente da queda na produtividade, ainda projetada pela entidade. O rendimento médio esperado para essa safra é de 2.528 mil quilos por hectare, contra os 2.952 mil quilos do ciclo 2016/17.
Já na Bahia, a safra de soja está estimada em 4,83 milhões de toneladas, uma queda de 5,7% em relação à temporada passada, na qual, foram colhidas 5,12 milhões de toneladas. O rendimento médio registrou uma queda de 9,2%, de 3.242 mil quilos por hectare para 2.943 mil quilos por hectare. As informações fazem parte do levantamento da Conab.
Além disso, o estado registrou recentemente o primeiro caso da ferrugem asiática, confirmada no município de São Desidério. “A doença foi identificada na última quarta-feira (3) e a chuva regular, que vem ocorrendo na região, contribuiu para o aparecimento do foco”, reportou a Aiba (Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia) em nota.
Sudeste
Com as chuvas recentes, os produtores de São Paulo também estão atentos às lavouras e a ocorrência da ferrugem asiática. Dados do Consórcio Antiferrugem apontam três casos da doença no estado. Nesta safra, os agricultores deverão colher 3,13 milhões de toneladas, ligeiramente acima do registrado no ciclo anterior, de 3,08 milhões de toneladas.
Paralelamente, em Minas Gerais, já há dois casos de ferrugem asiática nesta safra. A safra deverá apresentar uma queda de 5,5%, com uma produção próxima de 4,78 milhões de toneladas. No ciclo 2016/17, o estado colheu 5,06 milhões de toneladas de soja.
Fonte: Notícias Agrícolas
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'AgroGazeta'

Plantel de pintainhas crescem em 2018

Aberta consulta sobre normas para carcaças bovinas e suínas

Colheita de milho safrinha no Paraná atinge 6%

Soja brasileira cai pressionada por Chicago e Dólar

Primeiro semestre fechou com grande queda na exportação de frango

Embarques de frango têm desempenho fraco em 2018

Especialistas dizem que nova doença do milho demanda cautela e pesquisas

Entidade busca socorro para setor de aves e suínos

Frango, ovo, milho e inflação em junho de 2018

Cai preço da soja para exportação

Mais Destaques
"Chegamos ao 15 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Aqui se propaga - 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)