Artigos

Educação e Cidadania

| 26/01/2018 - 21:00

* Eduardo Cambi
É necessário reagir contra a causa de todas as desigualdades, que é a ausência de uma educação de qualidade. Sem educação não há igualdade, nem democracia. Tampouco é possível combater a corrupção, compreendida seja na escolha de políticos mais honestos para governar, seja na construção – a longo prazo – de uma cultura individual pautada em princípios éticos.
O comportamento dos eleitores e dos cidadãos, de modo geral, pode contribuir significativamente para o ciclo da corrupção. Quando se troca o voto pelo recebimento de favores pessoais, a política democrática deixa de ser o caminho para atender os interesses comuns da sociedade. Ela passa a servir para a satisfação de objetivos individuais, sem grandes preocupações com o conjunto da sociedade ou com o seu futuro. Isso impede a criação das bases sociais indispensáveis para promover as reformas que o Brasil precisa para o seu desenvolvimento humano, político, ético e social.
Não basta reprimir a corrupção; é preciso educar para o exercício da cidadania. Construir, pela educação, cidadãos responsáveis por condutas éticas e sociais é condição essencial para promover os valores positivos, tornar as pessoas menos egoístas, mais integradas e participantes do processo político-democrático; enfim, verdadeiras coautoras da construção de um país melhor e mais justo para todos.
Sem educação para o exercício da cidadania o futuro do Brasil continuará condenado pela corrupção. É pela falta de conhecimento ou de exercício efetivo dos deveres e dos direitos fundamentais que a apatia se generaliza, a democracia é enfraquecida, os controles sociais ficam diluídos e o modelo social brasileiro se mantém caracterizado pelo patrimonialismo, pelo individualismo, pela desigualdade e pela injustiça.
A escola pode não apenas reproduzir a ordem social vigente (marcada pelo individualismo, pelo consumismo, pela separação de classes sociais e pela apatia do cidadão), mas deve, principalmente, contribuir para melhorar a sociedade, orientando a transição ética e axiológica entre o passado e o futuro.
Por isso, é necessário repensar o papel da escola na formação do cidadão. Educar para o exercício da cidadania inclui a aproximação da teoria com a prática. As escolas precisam ser espaços democráticos, para poderem discutir as questões de interesse coletivo e agirem para melhorar a sociedade. Para adquirir um comportamento cívico ativo, os alunos têm de desenvolver competências (conhecimentos, habilidades e atitudes), que os capacite à participação na vida pública. A vivência da democracia deve começar na própria escola, a partir da escolha de representantes de turma, do incentivo à formação de grêmios estudantis e de diretórios acadêmicos, da participação direta em conselhos escolares ou na eleição dos órgãos de direção. A escola também deve ajudar os alunos a experimentar comportamentos cívicos responsáveis nas atividades extraescolares, com o envolvimento de professores, de educadores, de familiares e da comunidade.
Formar cidadãos, contudo, vai além do ensino do conjunto de valores inerentes a uma comunidade democrática. O processo de aprendizagem deve estar fundado na participação ativa – pelo diálogo, o debate, o exercício da liberdade de discordar e a tomada de decisões em conjunto – para que a resolução dos problemas da vida em comunidade possa contribuir para a criação de hábitos e virtudes cívicas. Os ideais democráticos devem ser postos em prática para que os valores éticos se fixem na base cultural da sociedade.
Entretanto, educação para a cidadania, voltada para a promoção da democracia e da coesão social, não termina na escola. Também deve envolver os meios de comunicação de massa, a educação familiar, o setor produtivo e os órgãos públicos. Isso porque a cidadania plena e ativa depende da capacidade de apreender durante toda a vida, para ter atitudes voltadas à concretização permanente dos valores éticos.
*Promotor de Justiça do Ministério Público do Paraná, coordenador do Projeto Geração Atitude e coordenador do Projeto Paraná Sem Corrupção.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Artigos'

Eles entraram no sepulcro, viram e acreditaram: Cristo Ressuscitou

Família e escola: uma parceria fundamental

Quo Vadis UnB

Jesus morreu na cruz para nos dar vida em plenitude

Profissão professor

Mais pobreza

A VIA PARLAMENTARISTA

A dignidade restituída e a esperança renovada

Os robôs estão chegando!

Assessoria de Imprensa e seu papel fundamental na disseminação responsável de informações

Mais Destaques

Segurança

PM de nova aurora apreendem 500 quilos de maconha

Cidade

VAGAS DE EMPREGO

Estado

Ministério da Saúde abre hoje segunda fase da vacinação contra gripe

Economia

No Mês da Indústria, Sistema Fiep apresentará dimensão de seu trabalho

AgroGazeta

BRDE tem como meta disponibilizar R$ 1 bilhão para o Paraná

Regional

Tecpar trabalha para se tornar grande polo de inovação

Gente X Poder

Onde está nossa torcida? E os "super poderes ao tubaina"?

"Já foram 19 milhões que acessaram o site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)