Economia

Confiança do industrial cresce em fevereiro

| 08/03/2018 - 20:40

Empresário se mantém otimista por nove meses consecutivos.
O industrial paranaense se mostrou mais confiante em fevereiro último em relação a meses anteriores e também em comparação ao mesmo período do ano passado. O Índice de Confiança da Indústria da Transformação (ICIT-PR) subiu 0,7 pontos em fevereiro em comparação a janeiro. Comparando com fevereiro de 2017, o aumento é de 11,6 pontos e, em relação à média histórica, está 15,1 pontos acima. O índice permanece por nove meses consecutivos na área de otimismo, situando-se em 62,7 pontos.
A pesquisa é realizada pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). Segundo análise do departamento econômico da Fiep, o aumento em fevereiro é típico e foi decorrente principalmente do acréscimo de +1,8 pontos no Índice de Condições, que atingiu 58,6 pontos. O Índice de Expectativas subiu 0,2 ponto, chegando a 64,8 pontos, permanecendo na área de otimismo por seis meses consecutivos.
Estes dois índices, o de Condições e o de Expectativas, compõem o ICIT-PR que atingiu a 62,7 pontos. O Índice de Confiança da Indústria de Transformação - Paraná é composto pelo índice de Condições (peso 1), que atingiu 58,6 pontos em fevereiro (56,8 em janeiro), e pelo Índice de Expectativas (peso 2), que alcançou 64,8 pontos em fevereiro (64,6 em janeiro).
O Índice de Condições (58,6) é composto pelo índice de Condições da Economia (57,9) e pelo índice de Condições da Empresa (59,0); o primeiro apresentou, em fevereiro, aumento de 1,2 pontos e o segundo de 2,1 pontos, evidenciando melhora nas condições da economia e nas da empresa. O índice de condições da economia está na área de otimismo há seis meses. Quando comparado este fevereiro com fevereiro de 2017, verifica-se aumento de 13,6 e de 12,6 pontos, respectivamente. Desta forma, o índice de Condições apresentou aumento de 1,8 pontos em fevereiro em relação a janeiro, ficando 12,9 pontos acima de fevereiro de 2017.
Os índices de condições atuais e de expectativas são obtidos pela combinação ponderada dos sentimentos dos empresários, relativo e respectivamente: (a) quanto às condições presentes da economia como um todo (peso 1) e às condições específicas de sua empresa (peso 2); e (b) quanto às expectativas de operação da economia no futuro próximo, assim entendidas em um horizonte de 6 meses (peso 1) e às expectativas de performance de sua própria empresa (peso 2). Nos últimos três meses, o índice de Condições (57,1) apresentou oscilações, evidenciando que os sinais de melhoras na situação econômica e na situação das empresas, embora com sinais de melhoria, ainda apresentam instabilidade.
O índice de Expectativas (64,8) é, por sua vez, composto pelo índice de Expectativas da Economia (60,3) e pelo índice de Expectativas da Empresa (67,2); o primeiro apresentou aumento de +0,5 ponto e o segundo de +0,3 ponto em relação a janeiro. Quando comparados com fevereiro de 2017, verifica-se aumento de +11,1 e de +11,1 pontos, respectivamente,
evidenciando melhora nas expectativas da empresa.
Em relação a dezembro, com redução no ‘Volume de Produção’ que passou de 45,1 para 45,1 pontos; a ‘Utilização de Capacidade Instalada (efetiva/usual)’ que passou de 41,5 para 39,2 pontos e a ‘Utilização de Capacidade Instalada (%)’ caiu dois pontos situando-se em 63 pontos.
Os indicadores da situação atual apresentaram resultados indefinidos: a ‘Evolução do Número de Empregados’ passou de 49,8 para 50,6 pontos; a evolução de ‘Estoques de produtos finais (planejado/desejado)’, passou de 55,1 para 50,8 pontos, e os ‘Estoques de produtos finais (evolução)’ passaram de 48,2 para 52,2 pontos.
Os indicadores de atividade futura apresentaram resultados positivos, a ‘Demanda por produtos’ passou de 56,6 para 61,2; o ‘Número de empregados’, se manteve passou de 51,2 para 52,4 pontos; a ‘Compra de matéria-prima’ passou de 57,1 para 59,1 e a ‘Quantidade exportada’, se passou de 56,6 para 56,2 pontos, todas as comparações entre dezembro e
janeiro.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

Atividade econômica fraca e inflação abaixo da meta mantém Selic em 6,50%

Prévia da inflação oficial registra taxa de 1,11% em junho

De 2015 para 2016, a indústria perdeu 400,8 mil pessoas ocupadas

Publicada lei que altera juros de fundos constitucionais

Por trás da “fachada de otimismo”, BCE se preocupa com custo da guerra comercial, dizem fontes

PIB caiu 0,4% no trimestre finalizado em abril, diz FGV

Economistas veem dólar acima de R$3,50 e Selic a 6,5%

Saques do PIS/Pasep colocarão R$ 34,3 bilhões na economia

Indicador da FGV que mede atividade econômica no país recua 1% em maio

Abcam apresenta sugestões para frete mínimo do transporte de cargas

Mais Destaques

Esporte

GR de Toledo viaja para competição

Cidade

PDT e MDB, de Toledo unem forças para as próximas eleições.

Regional

Festa junina anima pacientes do Hospital Uopeccan

AgroGazeta

Governo eleva previsão de VBP em 2018

Cultura

Prêmio Literário 2018

Gente X Poder

Se despediu

Estado

Porto de Paranaguá tem recorde de granéis sólidos

Política

Notícias falsas podem colocar eleições em risco

"Chegamos ao 15 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Aqui se propaga - 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)