Gente X Poder

O “apagão” na educação municipal

| 19/03/2018 - 18:30

Nas eleições para prefeito, em 2016, se ouviu muito a frase “QUERO MINHA TOLEDO DE VOLTA...”. Queriam Toledo de volta! Naquela oportunidade tínhamos o entendimento de que era algo forçado, que soava possessivo, como se Toledo fosse um simples objeto. Receberam a prefeitura, não Toledo, até porque o município não tem proprietário, embora alguns que pertencem ao grupo que está no paço pensem que sim. Queriam Toledo de volta para fazer lambanças, cacas, fazer uma administração que, para ser chamada de pífia, precisa melhorar muito. Um desastre sob todos os pontos de vista assim pontuados.
O “apagão” na educação municipal I
A falta de planejamento da Secretaria de Educação está causando estragos nas crianças de Toledo. Os alunos da rede municipal são a vitimas e estão sofrendo esse desastre chamado “apagão” na educação. A antiga secretária passou 2017 pensando em seu mandato na Câmara de Vereadores e deve ter esquecido de planejar aquela secretaria. A atual secretária até hoje não sabe exatamente o que é e qual a efetiva função da pasta e a sua importância. Quais são as ações que estão sendo planejadas para suprir a falta de professores nas escolas da rede municipal? Senhora Secretária, os problemas estão aí! Ser Secretária de Educação de Toledo (nona economia do Estado e primeira em VBP) não se limita a realização de “penduricalhos”, tal como acomodações de “professores apadrinhados”, como no caso daquele que lecionava na escola da Vila Operária e que foi transferido para a escola de Novo Sobradinho, pelo simples fato de ter auxiliado na campanha da Vereadora Janice.
O “apagão” na educação municipal II
Informação extra-oficial dá conta de que o pedido do conterrâneo da secretária teve seus privilégios, foi passado na frente, em detrimento de outros mais antigos. Senhora Secretária, ser titular da pasta da educação de um município como Toledo não se limita a ser cabo eleitoral de candidatos a cargos eletivos, em período de eleição. Não se limita em pedir votos para a candidata Janice Salvador. Ah, é bom lembrar a Vereadora que a atual Secretária desconhece o significado de “gratidão”. Se estão faltando professores nas escolas é porque não houve planejamento em 2017 e, ir a tribuna como fez na tarde dessa segunda-feira dizer que, está ciente que as escolas necessitam de mais de 154 professores e que desses, 60 serão contratados de imediato, após acerto com MP e que se não tivesse feito, a coisa poderia ser pior. Isso é subestimar a nossa inteligência. Uma desfaçatez igual aquela desculpa ridícula, baixa, mesquinha... de que existem muitos atestados médicos, insinuando que os professores estão simulando doenças para não trabalharem. Prefeito Lúcio, devemos lembrá-lo que a educação deve ser tratada como uma prioridade.
O “apagão” na educação municipal III
Por favor, procure saber mais sobre as implicações práticas da enunciação colocada na Constituição Federal, do direito à educação como um direito fundamental de natureza social. Chame o seu jurídico! Será? Senhora Secretária, importante lembrá-la que a constituinte colocou em destaque a dignidade da pessoa humana e a cidadania, tratando a educação como fundamentos relevantes, colocando-a como direito fundamental social, determinante para o desenvolvimento da sociedade. Em Toledo, a atual administração está negando esse direito fundamental a sua população. Retrocesso!!! Foi para isso que pediram “Toledo de Volta”? Para em quatro anos retroceder vinte? Sim, porque em um já retrocederam cinco. A Sra. Secretária deve saber que a formação continuada para professores era de 40 horas e da antiga gestão passou para 60 horas no horário de trabalho, mais 20 horas fora do horário, totalizando 80 horas na capacitação dos professores dos CMEI e Escolas Municipais. Isso se chama investimento no que é mais relevante à população. Ensino/Educação!
O “apagão” na educação municipal IV
Caros leitores, não gosto de ficar comparando “gestões” de “A” ou “B”, mas o investimento realizado na administração de Lunitti e Pelanka na capacitação dos Professores, contribuiu para o aumento do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), passando de 5.7 para 6.7. (http://www.gazetatoledo.com.br/NOTICIA/27090/IDEB_DE_TOLEDO_TEM_MELHOR_INDICE_DA_HISTORIA_NO_ENSINO_FUNDAMENTAL#.WrAOwB3wbIU) O IDEB foi criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino. Na gestão atual, há investimento na educação? Sim, claro que há carência de professores! Absurdo, atualmente faltam mais de 50 professores para as escolas municipais. Esse é o investimento realizado em 2017. Ouvimos constantemente que um governo se faz “de escolhas”, naquilo que o governante entende ser mais relevante. Assim, qual ou quais as escolhas da atual administração? Apadrinhar cupinchas e cabos eleitorais... Não queriam Toledo de volta? Então governem por e para Toledo e não para os seus interesses. Esse “apagão” na educação vai custar muito ao futuro de nossos filhos e de nossa cidade. Com o diz repetitivamente o vereador Leoclides Bisognin, a “educação” é tudo, e tudo passa pela “educação”. Se quiserem Toledo de volta, tenham “educação”!.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Gente X Poder'

Guardas Municipais em Brasília

Eleições no Progressistas

Médicos sem especialidade atendendo no Ciscopar?

Progressistas tensos?

A revolta dos “togados”

CPI do lixo

Liberação de recursos do estado

Minirreforma?

Troca-troca e demissão avista?

Quem será o vice-prefeito?

Mais Destaques
"Já foram 19 milhões que acessaram o site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)