Artigos

Como você “educa” sua equipe?

| 23/05/2018 - 20:00

Como você “educa” sua equipe?

Marcas de batom
Numa escola de segundo grau estava ocorrendo uma situação inusitada: todos os dias, uma turma de meninas removia o excesso de batom beijando o espelho do banheiro.
O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as mesmas marcas de batom. Chegou a chamar a atenção delas por quase 2 meses, e nada mudou, todos os dias acontecia a mesma coisa...
Um dia, o diretor juntou a turma de meninas e o zelador no banheiro, explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam.
Depois de uma hora falando (e elas com cara de deboche), o diretor pediu ao zelador para demonstrar a “dificuldade do trabalho”. Então, wwo zelador imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho.
Nunca mais apareceram marcas no espelho!
Para aprender, é preciso sentir!
Minha filha mais velha, quando tinha pouco mais de um ano, também passou por aquela fase de “morder tudo”. Por algumas vezes, eu dizia que “não podia”, mas sem qualquer efeito. Ela só entendeu que doía quando eu revidei, mordendo a mãozinha dela - bem de leve, é claro. Foi necessário que ela sentisse o real “perigo” de se machucar para entender que estava machucando os outros. Nunca mais tentou morder ninguém.
Nós somos animais instintivos: quando algo pode ferir nossa integridade física, moral ou financeira, as informações são mais bem processadas por nosso cérebro. Foi preciso dar multas pesadas para que o brasileiro passasse a usar o cinto de segurança, por exemplo.
Outro exemplo: os professores de cursinho costumam ter mais êxito em ensinar todo o conteúdo do colegial em apenas 6 meses. Por quê? Porque usam exemplos práticos, experiências vivenciais.
O que é lúdico se faz por gosto, não por obrigação.
Que tal começar, então, a mudar sua forma de educar seus filhos e sua equipe? Experimente trazer o lúdicopara dentro de sua casa ou com os colaboradores de sua empresa.
Vamos começar a brincar?
Abraços com mais atitude, beijos lúdicos... Mas, não no espelho...rsrs!
Marcio Zeppelini
Comunicador, palestrante motivacional, empresário e empreendedor social. É presidente do Instituto Filantropia e diretor executivo da Zeppelini Editorial. Autor do livro “Comunicação e Marketing para Projetos Sociais” e do livro “Inspirações e Atitude!”. Criador do programa “+Atitude” de inspiração e desenvolvimento humano.

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Artigos'

Sobre a necessidade de uma política contundente para o turismo brasileiro

O uso dos bens revela a dimensão de nossa fé

Business Acumen: demonstrativos financeiros alavancando as vendas

Como estar preparado para a possível reforma tributária?

Violência no âmbito escolar: o agressor e a vítima

Umbrais do amanhã sob a lama

Ser fiel a ti mesmo

Tragédias

Ecce Deus e a morte do “deus humano”

A violência que bate à porta

Mais Destaques

Regional

Toledo recebe bispos do paraná de 17 a 19

"18 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)