Economia

Mercado vê PIB crescendo menos neste ano, a 1,5%

| 16/07/2018 - 15:55

Para o ano que vem, a conta segue de crescimento de 2,50 por cento do PIB.

Os economistas diminuíram mais uma vez a expectativa para o crescimento econômico este ano, reduzindo também a projeção para a inflação em 2018, segundo pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira.
Agora, a previsão é que a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018 será de 1,50 por cento, sobre 1,53 por cento na leitura anterior e o patamar de 3 por cento que já chegou a ser indicado poucos meses antes, após a greve dos caminhoneiros e queda na confiança dos agentes econômicos. Para o ano que vem, a conta segue de crescimento de 2,50 por cento do PIB.
A economia brasileira teve contração de 3,34 por cento em maio sobre o mês anterior, conforme Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do PIB, divulgado também nesta segunda-feira. Diretamente afetado pela greve dos caminhoneiros que paralisou o país no mês, o desempenho corrobora a leitura de grande parte dos agentes de uma atividade bem mais fraca que a esperada este ano. O próprio Ministério da Fazenda, que também chegou a falar em crescimento de 3 por cento neste ano, agora calcula expansão de 1,6 por cento, mesmo cenário do Banco Central.
Já para a alta do IPCA, a estimativa segundo o Focus caiu a 4,15 por cento este ano, sobre 4,17 por cento na semana anterior, com a conta para 2019 permanecendo em 4,10 por cento.
O centro da meta de inflação para este ano é de 4,5 por cento e para 2019 é de 4,25 por cento, ambos com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.
Para o dólar, os especialistas consultados no levantamento semanal continuaram vendo a moeda a 3,70 reais neste ano. Para o ano que vem, contudo, a expectativa subiu a 3,68 reais, sobre 3,60 reais anteriormente.
As expectativas para a taxa básica de juros não sofreram alterações. A visão dos economistas é de que a Selic terminará este ano a 6,5 por cento e 2019 a 8 por cento.
O Top-5, o grupo que reúne os que mais acertam as previsões, também manteve as contas de taxa básica de juros a 6,50 por cento ao fim de 2018 e 7,75 por cento ao fim de 2019, pela mediana de médio prazo.
Fonte: Reuters
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

PIB cresce 1,6% no trimestre encerrado em agosto

Mercado financeiro projeta inflação em 4,44% para este ano

Trabalhadores nascidos em outubro podem sacar o PIS a partir de hoje

Um em cada três clientes ignora valor da fatura do cartão de crédito

Intenção de consumo das famílias recua 0,3% em outubro, diz CNC

Economia brasileira cresce 0,47% em agosto, diz BC

Bancos já podem receber boletos vencidos acima de R$ 100

Vantagem de Bolsonaro derruba Dólar

Crescimento de vendas e produção de veículos no Brasil deve desacelerar em 2019, prevê Anfavea

BB lidera ranking de reclamações no terceiro trimestre

Mais Destaques

Esporte

Clube da Bola Oeste: o despontar do futebol amador em Toledo

Estado

Novos fundos darão suporte a 700 mil negócios do Paraná

Geral

Diferença salarial entre homens e mulheres diminuiu de 2016 para 2017

Cidade

Núcleo da Acit realiza manutenção preventiva em veículos

Política

Polícia Federal abriu 469 inquéritos para investigar crimes eleitorais

Regional

IFPR abre inscrições para cursos técnicos em Quatro Pontes

"Ultrapassamos 16 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Aqui se propaga - 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)