Economia

Mercado vê PIB crescendo menos neste ano, a 1,5%

| 16/07/2018 - 15:55

Para o ano que vem, a conta segue de crescimento de 2,50 por cento do PIB.

Os economistas diminuíram mais uma vez a expectativa para o crescimento econômico este ano, reduzindo também a projeção para a inflação em 2018, segundo pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira.
Agora, a previsão é que a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018 será de 1,50 por cento, sobre 1,53 por cento na leitura anterior e o patamar de 3 por cento que já chegou a ser indicado poucos meses antes, após a greve dos caminhoneiros e queda na confiança dos agentes econômicos. Para o ano que vem, a conta segue de crescimento de 2,50 por cento do PIB.
A economia brasileira teve contração de 3,34 por cento em maio sobre o mês anterior, conforme Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do PIB, divulgado também nesta segunda-feira. Diretamente afetado pela greve dos caminhoneiros que paralisou o país no mês, o desempenho corrobora a leitura de grande parte dos agentes de uma atividade bem mais fraca que a esperada este ano. O próprio Ministério da Fazenda, que também chegou a falar em crescimento de 3 por cento neste ano, agora calcula expansão de 1,6 por cento, mesmo cenário do Banco Central.
Já para a alta do IPCA, a estimativa segundo o Focus caiu a 4,15 por cento este ano, sobre 4,17 por cento na semana anterior, com a conta para 2019 permanecendo em 4,10 por cento.
O centro da meta de inflação para este ano é de 4,5 por cento e para 2019 é de 4,25 por cento, ambos com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.
Para o dólar, os especialistas consultados no levantamento semanal continuaram vendo a moeda a 3,70 reais neste ano. Para o ano que vem, contudo, a expectativa subiu a 3,68 reais, sobre 3,60 reais anteriormente.
As expectativas para a taxa básica de juros não sofreram alterações. A visão dos economistas é de que a Selic terminará este ano a 6,5 por cento e 2019 a 8 por cento.
O Top-5, o grupo que reúne os que mais acertam as previsões, também manteve as contas de taxa básica de juros a 6,50 por cento ao fim de 2018 e 7,75 por cento ao fim de 2019, pela mediana de médio prazo.
Fonte: Reuters
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

BRDE terá US$ 100 milhões do BID para investir no Sul

Petrobras retomará processos de alienação de ativos

Benefícios do INSS acima do salário mínimo terão reajuste de 3,43%

Economia tem recuperação gradual, aponta IFI

Fiscalização do trabalho recuperou R$ 5,2 bi de FGTS não recolhido

Ações da Copel têm alta no Brasil e nos Estados Unidos

Senado aprovou projetos para desburocratizar e desonerar a economia

Ações da Sanepar alcançam o maior valor histórico

Restituição do Imposto de Renda começa a pagar hoje R$ 667 milhões

Governo indica novos conselheiros para Petrobras

Mais Destaques

Gente X Poder

Na base do sal GROSSO?

Cultura

Inscrições abertas para o processo seletivo do curso de Música da UNILA

Esporte

Toledano Lucas Lóh comemora 28 anos e a ótima fase na carreira

Cidade

Prati-Donaduzzi inicia 2019 com 150 vagas de emprego

Regional

Iguassu-IT inicia planejamento estratégico para 2019

Estado

Ratinho Júnior anuncia redução de preços de serviços do Detran

AgroGazeta

Sojicultores do Paraná mantêm produtividade durante estiagem

"Já são 17 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Junte-se a quem de fato é lido - invista em propaganda onde sua marca ficará visível 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)