Regional

Cascavel sedia Congresso Internacional de Acolhimento Familiar

| 17/07/2018 - 17:25

Cascavel sedia Congresso Internacional de Acolhimento Familiar

Estão abertas as inscrições para o 2º Congresso Internacional de Acolhimento Familiar de Cascavel, no Paraná, que se realiza de 22 a 25 de julho, no Centro de Convenções e Eventos. Destinado a profissionais da Vara da Infância e Juventude, de conselhos tutelares, assistentes sociais, psicólogos, advogados, organizações não governamentais, estudantes e interessados na área, o congresso traz nessa edição alguns dos principais especialistas nesse assunto, do Brasil e do exterior.
Nesta edição, o Congresso apresenta palestras, debates e workshops práticos. Tanto pela profundidade da abordagem do tema, como nível dos palestrantes e quantidade de participantes (são 750 vagas), já é considerado um dos mais importantes e maiores eventos sobre o tema. As inscrições podem ser feitas pelo link https://bit.ly/inscricaoacolhimentocascavel.
O congresso é promovido pela Secretaria Municipal de Assistência Social (SEASO) do Município de Cascavel, com parceria da Corregedoria Geral da Justiça do Paraná (TJPR), do Conselho Municipal de Turismo de Cascavel (COMTUR) e Itaipu Binacional; e apoio do Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR).
Sergio Luiz Kreuz, Juiz Auxiliar da Corregedoria do Estado do Paraná, vai falar sobre o direito à convivência familiar da criança e do adolescente. Fundador e coordenador do programa de Família Acolhedora de Cascavel até 2016, é sem dúvida, uma das principais autoridades no assunto, por ter implantado o maior programa da América Latina. É também o idealizador deste congresso. A coordenadora do programa de Cascavel, a assistente social e professora Neusa Cerutti, e sua equipe compartilham a rica experiência sobre o serviço de acolhimento familiar e também o trabalho com famílias de origem e os caminhos para a reintegração familiar de crianças e adolescentes acolhidos.
Para apresentar experiências internacionais de acolhimento familiar e seus desafios, o Congresso traz este ano vários especialistas: da Espanha, a professora e pedagoga da Universidade de Barcelona, Maria Carme Montserrat Boada; o professor da Universidade de Sevilha, Jesus Palácios; de Portugal, o professor da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, João Paulo Ferreira Delgado; da Irlanda, o professor de Serviço e Política Social do Trinity College de Dublin, Robbie Gilligan.
Do meio jurídico participam do debate sobre o tema, os juízes da Vara de Infância e Juventude de Cascavel (PR), Fabrício Priotto Mussi, e da Vara de Uberlândia (MG), José Roberto Poiani. O papel do Ministério Público na fiscalização dos serviços de acolhimento familiar é o tema da palestra do promotor de justiça da Promotoria da Infância e Juventude de Cascavel, Luciano Machado de Souza.
Na área acadêmica, a doutora em psicologia e pós-doutora em saúde e desenvolvimento humano e consagrada autora de livros, Lídia Weber, fala sobre amores construídos no acolhimento e na adoção. A professora e psicóloga do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Lívia de Tartari, aborda aspectos relevantes para a capacitação de famílias acolhedoras. Também participam de debates, a psicóloga professora e coordenadora do curso de Direito/Univel, Caroline Buosi Velasco, e a psicóloga Lucimara Cabreira.
Representando o Terceiro Setor, a jornalista e presidente do Instituto Geração Amanhã, Sandra Sobral, relata sua história e as consequências do acolhimento institucional na socialização, desenvolvimento emocional, afetivo e neurológico do acolhido.
O QUE É ACOLHIMENTO FAMILIAR
O Acolhimento Familiar é uma medida protetiva, temporária e excepcional, prevista em lei pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Trata-se de uma alternativa ao acolhimento institucional (abrigos e casas lares) para crianças e adolescentes em situação de risco social que foram afastados de suas famílias de origem por decisão judicial. Caracteriza-se pela transferência temporária dos direitos e deveres parentais dos pais biológicos para uma família acolhedora, previamente cadastrada, selecionada e vinculada a um programa.
O Acolhimento Familiar é regulamentado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e é prioritário ao acolhimento institucional, por lei, desde 2009. Embora seja amplamente difundido nos Estados Unidos e Europa, ainda é pouco conhecido ou aplicado no Brasil.
Fonte: Sobral Comunicação

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Regional'

Entre Rios do Oeste recebe prêmio destaque através do projeto do biogás

Laboratório Vivo de Cidades Inteligentes começam a operar no PTI

Foz do Iguaçu deve sediar 600 eventos neste ano

Iguassu-IT inicia planejamento estratégico para 2019

Universitários terão custeio de transporte em Nova Santa Rosa

Nova lei para produtos artesanais é debatida em Santa Helena

Ônibus de educação socioambiental chega à Costa Oeste

PRF apreende carro transportando maconha em Santa Terezinha de Itaipu

UNILA completa 9 anos em busca do ensino superior de excelência

Ministro do Meio Ambiente visita Foz e elogia Itaipu

Mais Destaques

Política

MPPR e União de Vereadores do Paraná assinam termo de transparência na gestão pública

Estado

Saúde traça plano de combate à febre amarela

Esporte

Curso de GR auxiliará na montagem de séries e terá aulas de balé

Economia

Banco do Brasil é considerado o mais sustentável do mundo

AgroGazeta

Colheita de soja no Brasil atinge 5,4% da área, estima agência

Cidade

Inscrições para o NACA estão abertas

Cultura

Jogos eletrônicos brasileiros conquistam o mercado internacional

Geral

Após meses de espera, Amazon.com inicia vendas diretas no Brasil com 11 categorias de produtos

"Já são 17 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Junte-se a quem de fato é lido - invista em propaganda onde sua marca ficará visível 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)