AgroGazeta

Mulheres colocam a “mão na massa” no campo

| 07/11/2018 - 16:05

Maria Helena da Silva Rafaeli (Foto: Coamo)

Mulheres colocam a “mão na massa” no campo
O campo sofreu grandes transformações nos últimos anos. Novos sistemas de produção e tecnologias impulsionaram a produção, deixando o trabalho menos pesado e melhorando a qualidade de vida das famílias.
Mas, não é só isso: o ambiente também está mais feminino. A porcentagem de mulheres à frente da agropecuária tem crescido ano a ano. Uma pesquisa da associação brasileira de marketing rural e agronegócio realizada em 2017 apontou que uma em cada três propriedades rurais do país tem mulheres ocupando funções de comando. São filhas e esposas de agricultores ou viúvas que resolveram encarar os desafios de trabalhar na atividade agrícola.
Um desses exemplos vem de Pitanga (Centro do Paraná). A história da cooperada Maria Helena da Silva Rafaeli é de superação, empenho e dedicação. Viúva há nove anos, ela tem o cooperativismo como filosofia de vida. A parceria com a Coamo começou em 1976, quando o marido Edevi Luiz Rafaeli, se associou. Na época eles moravam em Mamborê (Centro-Oeste do Estado). A mudança para Pitanga ocorreu em 1998.
Ela recorda que a Coamo sempre os acompanhou e mostrando o melhor caminho para alcançar boas produções. Contudo, a participação mais importante da cooperativa na vida dela foi logo após a morte do marido, quando a ‘dona’ Maria Helena decidiu tocar a atividade. “O cooperativismo representa a união e a ajuda mutua para o bem de todos. Quando fiquei viúva eu senti isso na pele. Se não fosse a Coamo e os colegas agricultores, não sei o que seria de mim”, comenta.
A cooperada trabalha com duas atividades principais: pecuária de corte e agricultura. Diariamente ela vai até a propriedade e acompanha tudo de perto ao lado dos funcionários e da assistência técnica da cooperativa. Todas as decisões são tomadas visando o melhor resultado e o sucesso tanto na criação de gado quanto na produção agrícola.
A Coamo vem acompanhando esta mudança no campo realizando encontros, cursos e treinamentos para as mulheres. Anualmente, a cooperativa recebe em Campo Mourão (Centro-Oeste do Paraná) mais de 1,5 mulheres em um dia dedicados a elas. Ainda são realizadas palestras, e constantes eventos nas unidades, envolvendo esposas e filhas de cooperados e cooperadas.
Fonte: Comunicação Coamo
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'AgroGazeta'

Ministério descarta risco à exportação de carne do Brasil após discussão sobre embaixada

Porto de Paranaguá já supera exportações de grãos de 2017

Preço do milho sobe em novembro

Estrutura do Ministério da Agricultura será definida nesta semana

Entidades do setor produtivo manifestam apoio a nova ministra da Agricultura

Obra vai triplicar capacidade de exportação em Paranaguá

Conheça a futura ministra da Agricultura

Exportações de carne de frango mantém alta em outubro

Mulheres colocam a “mão na massa” no campo

Exportação de soja deve crescer 2,6%

Mais Destaques
"Já são 17 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Junte-se a quem de fato é lido - invista em propaganda onde sua marca ficará visível 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)