AgroGazeta

Municípios do Oeste têm como prioridade a sanidade animal

| 07/02/2019 - 14:55

Foto: AEN

São 54 municípios, cuja atividade econômica constitui o maior centro produtor de proteína animal do Brasil
O secretário estadual da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, reuniu-se na última terça-feira (05) com representantes dos municípios do Oeste do Paraná, no Show Rural, em Cascavel, para debater a sanidade animal da região.
São 54 municípios, cuja atividade econômica constitui o maior centro produtor de proteína animal do Brasil, e para isso alegam que precisam do apoio do governo do Estado no avanço para que o Paraná seja declarado como livre de febre aftosa, sem vacinação.
O secretário disse que a condição técnica para conquistar esse status já foi solicitado pela Secretaria de Estado da Agricultura e a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). A reunião foi promovida pelo programa Oeste em Desenvolvimento, entidade que conta com a participação de órgão públicos e privados.
Segundo Ortigara, foram cumpridas 90% das pendências sanitárias e faltam poucos detalhes determinados por duas auditorias feitas pelo Ministério da Agricultura, cujas providências estão sendo adotadas. Para ele, agora a questão é mais política do que técnica.
O processo sofre restrições por parte de pecuaristas que trazem gado de outros Estados e não estão satisfeitos com o fechamento de fronteiras interestaduais para cargas vivas, disse Ortigara. O fechamento das fronteiras seria uma determinação do Ministério da Agricultura, conforme exige o protocolo.
Segundo o empresário Elias Zydek, de Medianeira, 65% do mercado externo está fechado para compra da carne suína paranaense porque ainda se vacina bovinos contra febre aftosa. A vacinação é dirigida apenas a este setor, mas a ação restritiva provoca impactos nas exportações de aves e suínos.
O programa Paraná Oeste em Desenvolvimento e vai contar com investimentos da Itaipu Binacional para a região Oeste do Paraná. Entre os investimos previstos foi eleito como prioridade a sanidade animal.
Entre as metas já estabelecidas pelo programa, até 2020 serão implantados 54 Conselhos de Sanidade Agropecuária no Oeste do Paraná, que vão interagir com a sociedade e com o poder público. A preocupação é manter a biosseguridade em suinocultura, disse Zydek.
Fonte: AEN
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'AgroGazeta'

China autoriza importação de gordura de porco do Brasil

Começa mais uma campanha de vacinação contra aftosa

Novo Zoneamento Agrícola de Risco Climático da Uva é publicado

Mais Destaques
"Já foram 19 milhões que acessaram o site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)