Especial

As mulheres e os negócios

Claudete Hirano | 08/03/2019 - 18:45

A cada dia as mulheres ganham mais espaço no mundo dos negócios, basta fazer uma breve busca pela internetr sobre “mulheres e negócios, empresárias de sucesso ou empreendedoras” para validar esta informação.

A intenção deste texto não é mostrar dados estatísticos e sim alguns aspectos comportamentais importantes sobre as mulheres e a sua relação com os negócios.

Em minhas pesquisas, alguns apontamentos me chamaram atenção. São os motivos que levam ao aumento estrondoso do número de mulheres empreendedoras, nos últimos anos.

Um desses motivos são as evidências de que as mulheres brasileiras ainda ganham menos que os homens ao ocuparem os mesmos cargos, e esse desequilíbrio tem levado as mulheres a serem donas do seu próprio negócio.

Isso é curioso e ao mesmo tempo encantador, porque mostra que nós mulheres temos uma grande capacidade de nos adaptarmos aos acontecimentos e aos ambientes. Somos verdadeira camaleoas!

Imagine uma executiva comparando seu salário com o do seu colega da mesa ao lado. Ela olha em seu contracheque um valor, uns vinte por cento menor que o dele, ela sabe que o esforço é o mesmo e talvez as suas competências e/ou o desempenho sejam maiores que o dele. Um belo dia, ela se enche daquilo, enfia suas competências de executivas na sua bolsa e vai embora com elas, disposta a começar do zero!

Suas experiências e competências estão em sua bagagem, e isso conta muitos pontos em sua “barra de progresso”, no entanto, ela terá que escolher quais daquelas competências, dos conhecimentos e das suas experiências vai começar a utilizar em seu novo empreendimento. Terá que se desfazer de algumas delas ou de várias, e precisará fazer as adaptações necessárias.

Talvez o empreendimento nem seja tão rentável, principalmente no início. Talvez ela nem busque ganhar tanto como ganhava em seu emprego e esteja buscando mais a sua realização pessoal, ou quem sabe a sua paz.

As mesmas mulheres que assumem grandes responsabilidades no mundo dos negócios e que fechavam negócios em grandes corporações, chegam em casa preparadas a lavar uma trouxa de roupas sujas.

Essa capacidade das mulheres de se adaptar ao que elas têm para o momento, é fenomenal, mas pode colocá-las em risco, pois elas aprendem a se encolher para se encaixar.

Às vezes elas se encolhem demais e permitem que outros decidam o que é apropriado para elas, ficando vulneráveis aos ataques, reduzindo sua própria importância e perdendo seu poder pessoal.

Se você é ousada, celebre a sua ousadia, pois é com ela que você passa pela vida sem se encolher, sem se conformar, sem disfarçar, sem tentar agradar o mundo inteiro.

“Ser você mesma requer muita coragem e um alto nível de invencibilidade.” (Nancy D. Solomon)

Precisamos ser quem somos, ser o que convém para nós mesmas!

A coach e autora americana Nancy D. Solomon, explica sobre a relação das mulheres na liderança dos negócios. Ela comenta que não percisamos liderar como homens e nem liderar como mulheres, precisamos liderar como nós mesmas e para isso temos que desenvolver duas habilidades vitais: a autoconfiança e a convicção, ambas podem ser aumentadas com o tempo e com a prática.

Portanto, mulher, lembre-se sempre:

Você não precisa se encolher para se encaixar! Evolua, busque aprimorar quem você é.

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Especial'

As mulheres e os negócios

Hipnoterapia X Controle Emicional

Mais Destaques
"18 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)