Economia

Superavit comercial do Paraná com países do Brics cresce 625% na década

Agência Estadual de Notícias | 14/03/2019 - 09:00

Superavit comercial do Paraná com países do Brics cresce 625% na década

Curitiba é a cidade-sede da primeira reunião do Brics em 2019. A abertura oficial do encontro ocorreu na noite desta quarta-feira (13). O encontro trouxe ao Paraná ministros e diplomatas responsáveis pelos acordos entre Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

O evento é preparatório para a 11ª Cúpula do bloco econômico que será realizada em Brasília, em novembro deste ano. “Muito importante para o Paraná sediar esta reunião. É uma boa oportunidade para mostrarmos nosso potencial de comércio internacional e expandir as vendas”, destaca o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Atualmente, 30,7% das exportações do Brasil seguem para os demais países do bloco. Em relação ao Paraná, o grupo absorve 34,5% das vendas externas totais do Estado (US$ 20,040 bilhões), com negócios que somam US$ 6,918 bilhões. O montante foi registrado em 2018 e é 121% maior do que em 2010 (US$ 3,127 bilhões).

Em oito anos, as importações dos quatro países para o Paraná avançaram 12%, passando de US$ 2,573 bilhões para US$ 2,892 bilhões. O valor equivale a 23,3% do total comprado pelo Estado do exterior no último ano (US$ 12,370 bilhões).

No ano passado, o saldo entre exportações e importações foi de US$ 4,025 bilhões, um aumento de 625,7% sobre os US$ 553,3 milhões registrados em 2010. O forte incremento nas vendas externas foi impulsionado pela China, maior destino das exportações paranaenses.

CHINA - Desde o início da década, o valor exportado para o mercado chinês registrou crescimento de 167%, de US$ 2,276 bilhões para US$ 6,080 bilhões. Deste montante, a soja em grão respondeu por 80% (US$ 4,920 bilhões), seguido de celulose (US$ 374,5 milhões) e carne de frango “in natura” (US$ 319,3 milhões).

A Índia ocupa a nona posição na pauta de exportações paranaense. De 2010 a 2018, os negócios do Estado com este país cresceram 58%, de US$ 238,5 milhões para US$ 377,1 milhões. Óleo de soja representou 60% do valor total: US$ 229,2 milhões.

A África do Sul aparece na 18ª colocação entre os destinos internacionais de produtos do Paraná. O país apresentou um aumento de 101% nas transações com o Estado nos últimos oito anos, de US$ 116,1 milhões para US$ 234,5 milhões. A carne de frango “in natura” é o principal item da pauta, equivalendo a 68% das exportações.

Por sua vez, a Rússia figura em 19º lugar no ranking, mesmo com o recuo de 54% registrado entre 2010 e 2018, quando as exportações diminuíram de US$ 495,9 milhões para US$ 226,1 milhões. Café solúvel, carne de frango e soja em grão são os produtos mais exportados pelo Paraná.

IMPORTAÇÕES - No sentido inverso, o Estado contabilizou incrementos nas compras da China, de US$ 2,100 bilhões para US$ 2,312 bilhões (10%), e da Rússia - de US$ 167,9 milhões para US$ 395,9 milhões (135%). Destes dois países, o Paraná adquire principalmente adubos e fertilizantes. A China lidera também o ranking paranaense de importações.

    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Economia'

Guedes defende mais recursos do pré-sal para estados e municípios

Paraná tem a maior alta da produção industrial em janeiro

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros

Déficit de contas públicas deve ficar em R$ 98,17 bilhões neste ano

Paraná tem interesse em ampliar negócios com o Brics

Superavit comercial do Paraná com países do Brics cresce 625% na década

Novo presidente do BC defende autonomia e inflação baixa

Agricultura e Economia criam grupo para trabalhar no Plano Safra, diz ministra

FGV prevê crescimento econômico de 2,1% em 2019

Projeto de combate a sonegadores do INSS deve ser enviado esta semana

Mais Destaques
"18 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)