Cidade

Câmara decide a implantação de câmeras de segurança nas escolas de Toledo

| 22/03/2019 - 18:55

Olinda Fiorentin: “Apenas diante de tragédias que podiam ser evitadas é que percebemos que pouco é f

Diante de um cenário de medo e insegurança pelas recentes tragédias registradas em escolas pelo país, na próxima segunda-feira (25/03) o legislativo toledano terá a missão de aprovar o projeto de lei 179/2018 de autoria da vereadora Olinda Fiorentin (PPS) que versa sobre a implantação de câmeras de segurança em todas as escolas municipais e centros de educação infantil.
Mesmo diante dos ataques recentes, o projeto de lei se pauta em problemas antigos e graves. O arrombamento de escolas, insegurança dos pais, vandalismo, prevenção ao assédio e ao trafico de drogas entre outros motivos graves. Além de tudo isso, a própria segurança a e proteção dos servidores, alunos e outros integrantes do processo educacional.
“Apenas diante de tragédias que podiam ser evitadas é que percebemos que pouco é feito para a proteção das nossas crianças. Milhões são investidos em tantas coisas, mas de nada vale tudo isso se ao chegar nos educandários para buscar nossos filhos sentirmos a tristeza que sentem os pais que são vítimas destas tantas violências. Creio ser muito mais produtivo e econômico investir em prevenção do que pagar uma conta emocional destes estudantes e suas famílias que ficam expostos a tantas barbáries. O Estado infelizmente não paga e nem recupera as vidas que são perdidas”, explica a vereadora.
Olinda Fiorentin ressalta que que a instalação de equipamentos de segurança significa não apenas uma maneira de desestimular a ação de agentes delituosos em nossas escolas, mas valerá para elucidar e apurar situações dentro do ambiente escolar, que não inclui as salas de aula, mantendo então a privacidade e a autonomia dos professores. “Creio que a tecnologia é fundamental para o acompanhamento e a garantia da tranquilidade e o bom andamento do trabalho nos espaços educativos”, afirma.
DADOS DA VIOLÊNCIA - Outro dado que assusta é que de acordo com informações da própria Secretaria de Educação de Toledo de janeiro de 2017 á outubro de 2018 foram 25 ás instituições educacionais que foram arrombadas. Escolas vandalizadas, espaços destruídos e muitos outros agravantes foram contabilizados pela comunidade.
Olinda lembra que existe previsão na Lei de Diretrizes Orçamentarias (LDO) de 2019 para efetivação desta proposta. “Temos o recurso, vai depender da sensibilidade dos demais vereadores e também da vontade política do executivo”, explica.
POLÊMICA – Uma das discussões levantadas nas Comissões foi o uso de imagem dos estudantes. “Todo esse processo será realizado de forma ética e profissional como tem que ser o serviço público. Temos monitoramento em outros ambientes e nem por isso essas imagens são utilizadas de forma indevidas. Cabe ao município garantir a boa prestação de serviço, exigindo da empresa contratada ou dos servidores toda a segurança que existe e é garantida por lei em todo o nosso país. Não podemos ficar paralisados diante de uma desconfiança que pode ser sanada por profissionais responsáveis. Ao legislativo cabe fazer boas leis e fiscalizar”.
A vereadora lembra que na recente tragédia se Suzano (SP) que vitimou estudantes e professores e que dependeu exclusivamente das imagens para a investigação. “Não evitou a tragédia, mas pelo menos trouxe a verdade e vai possibilitar que medidas de segurança sejam efetivamente tomadas”, resume.
A autora destaca que toda a estrutura a ser instalada para o sistema de vigilância eletrônica deverá atender os requisitos constantes nas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), responsável pelas regulamentações dos padrões exigidos por lei.
LEGALIDADE - O projeto deu entrada na Casa de Leis ainda em outubro do ano passado, mas passou pelas comissões e foi suspenso por três sessões. No Rio de Janeiro, por exemplo, a lei foi aprovada por unanimidade e rejeitada pelo então prefeito. Depois de uma intensa discussão jurídica, o legislativo recorreu ao Supremo Tribunal Federal reafirmou jurisprudência dominante no sentido de que não invade a competência privativa do Poder Executivo.
O entendimento foi que embora crie despesa para os cofres municipais, não trate da estrutura ou da atribuição de órgãos do município, nem do regime jurídico de servidores públicos. A matéria foi apreciada no recurso extraordinário com agravo (ARE) 878911, de relatoria do Ministro Gilmar Mendes que repercussão geral reconhecida pelo plenário virtual do STF. Nesse caso, ganhou a comunidade que pode contar com o monitoramento e mais segurança. Olinda Fiorentin espera que o mesmo aconteça em Toledo.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Cidade'

CRONOGRAMA DA COLETA DE LIXO EM TOLEDO

Nova empresa inicia a coleta do lixo orgânico e trabalho é intenso

Pré - conferências e conferência sobre o plano municipal de educação

1ª etapa do Campeonato Sul Brasileiro de arrancada acontece no fim de semana

VAGAS DE EMPREGO

Prefeitura e Caixa assinam contratos para obras de infraestrutura

Prefeitura de Toledo e Unioeste organizam o 1º Too Pescando

Inscrições para o 12° Festival Gospel de Toledo começam na segunda-feira

Too Reciclando: Caçambas itinerantes no Anápolis, Filadélfia e Orquídeas

• Comunicado: Liberação de viaduto/trincheira BR -163 deve acontecer na terça-feira

Mais Destaques

Segurança

PM de nova aurora apreendem 500 quilos de maconha

Estado

Ministério da Saúde abre hoje segunda fase da vacinação contra gripe

Gente X Poder

Onde está nossa torcida? E os "super poderes ao tubaina"?

Economia

No Mês da Indústria, Sistema Fiep apresentará dimensão de seu trabalho

Regional

Tecpar trabalha para se tornar grande polo de inovação

AgroGazeta

BRDE tem como meta disponibilizar R$ 1 bilhão para o Paraná

"Já foram 19 milhões que acessaram o site do Jornal Gazeta de Toledo- ISENÇÃO E VERDADE!"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)