Artigos

Quem não se comunica, desmotiva!

| 30/07/2014 - 00:01

Airton Cicchetto*
Parece inacreditável, mas nos dias atuais, ainda existem líderes que não se comunicam com seus subordinados. A importância da comunicação bem como os benefícios que ela proporciona às empresas e a todas as suas pessoas são amplamente comprovados. São inquestionáveis. Mesmo assim, no ambiente empresarial, há líderes que não dão atenção a seus colaboradores. É o que revela uma pesquisa publicada pela revista Exame em julho desse ano, que ouviu uma amostra estatística de mais de 1.200 pessoas e que comprova a negligência dos chefes no que diz respeito à boa comunicação com a equipe.
Segundo a pesquisa, 41% dos gestores dizem dedicar muita atenção aos seus funcionários, mas apenas 9% concordam com seus chefes neste quesito. Estes dados são, de certa forma, alarmantes, pois 91% dos trabalhadores não se sentem ouvidos por seus superiores, percepção que se confirma na mesma pesquisa, visto que mais da metade dos chefes, 59% deles, de fato, não declararam dedicar atenção a seus subordinados.
Da teoria, sabe-se que os principais objetivos da comunicação são: tornar o pensamento comum aos outros, produzir uma resposta e persuadir. No mundo corporativo, é do senso comum que a boa comunicação é vital para alinhar o foco, incentivar a participação e o comprometimento das pessoas para delas obter o melhor desempenho individual e motivação para cooperar com os diferentes programas e projetos da empresa. Como se pode notar, esta é a exata aplicação dos objetivos da comunicação.
Não é possível conceber, nas empresas modernas, a prática do “tautismo”, que Lucien Sfez, professor da Universidade de Paris, define como contração de dois termos: tautologia e autismo. De forma simples e abreviada, por tautologia, entende-se o vício de linguagem que consiste em dizer, por diversas formas, sempre a mesma coisa e, por autismo, pode-se entender a doença do auto encerramento, pela qual o indivíduo deixa de ter necessidade de comunicar seu pensamento aos outros e de se adequar aos demais.
Nos dias de hoje, definitivamente, os líderes não podem ser introvertidos ou inacessíveis, encerrando-se em seus próprios pensamentos (gestores autistas) nem, da mesma forma, podem se desligar da realidade exterior e se fixar nas suas próprias verdades, exercitando a tautologia. Ao contrário, os gerentes têm a missão de comunicar-se intensamente com seus subordinados e seus pares, captar o que se passa no ambiente, adequar-se, rever planos e posições, mantendo a motivação e o engajamento de todos. Se assim não estão fazendo, estão falhando e, neste caso, estão falhando também suas empresas.
Os funcionários hoje apreciam os sistemas sofisticados e o emprego de alta tecnologia de comunicação, mas também, e principalmente, querem ter contato pessoal com seus líderes. Assim como existem no ambiente das empresas obstáculos e dificuldades ao estabelecimento do diálogo, também pode e deve haver condições que o favoreçam.
Compete a elas prover condições facilitadoras, e neste sentido, é de fundamental importância que as empresas formatem sistemas de comunicação compostos de oportunidades e temas que incentivem a troca de ideias entre os empregados, deixando muito claro que são abertas ao diálogo e tem compromissos claros com a segurança, o bem-estar e o desenvolvimento de todos, inclusive, cobrando o alinhamento de seus líderes a estes princípios.
Assim o fazendo, incentivando a comunicação, estarão naturalmente induzindo seus líderes a dedicar atenção aos subordinados e, consequentemente, alinhando focos, motivando e obtendo respostas positivas no desempenho do pessoal. Do contrário, estarão desmotivando e alimentando as estatísticas dos descontentes e assim, distanciando-se dos saudáveis objetivos da comunicação.
* O autor é consultor, palestrante empresarial, engenheiro, mestre em administração e idealizador do modelo SCG - Simples Complexo Gerencial - Simplificando a Gestão.
    SEJA o primeiro a comentar
  • Nome

    E-mail

    Escreva um comentário

Notícias de 'Artigos'

Instituições de ensino superior e o desenvolvimento regional

OPINIÃO: Privatizar não é a melhor solução

A democracia e a arte de ouvir

10 fatos que devem agitar o mundo tributário em 2019

A educomunicação, o jornal e a sala de aula

Por que as micro e pequenas empresas devem optar pelo crowdlending para turbinar seus negócios?

O Brasil vai mudar

Reconstrução do país deve ir além de retórica

A Inteligência Artificial vai acabar com meu emprego?

A importância da formação de um bom líder

Mais Destaques

Esporte

Curso de GR auxiliará na montagem de séries e terá aulas de balé

Política

MPPR e União de Vereadores do Paraná assinam termo de transparência na gestão pública

Variedades e Gente

Sisu abre inscrições para mais de 235 mil vagas

Geral

Após meses de espera, Amazon.com inicia vendas diretas no Brasil com 11 categorias de produtos

Cultura

Jogos eletrônicos brasileiros conquistam o mercado internacional

Gente X Poder

Urubu virou pombinha?

AgroGazeta

Colheita de soja no Brasil atinge 5,4% da área, estima agência

Cidade

Inscrições para o NACA estão abertas

"Já são 17 milhões de acessos no site do Jornal Gazeta de Toledo. Junte-se a quem de fato é lido - invista em propaganda onde sua marca ficará visível 45 9.91339499"
(Eliseu Langner de Lima - diretor)
Enquete
Tempo Toledo
Cotações
Compra Venda
Dólar comer.
Euro (real)